Arquivo da categoria: solstícios

Solstício de Inverno – Convite

Com a proximidade dos dias frios do ano, a nossa tendência de recolhimento e introspecção é cada vez maior. Neste período escuro, o auto-conhecimento é uma busca para cada um realizar em si mesmo no aconchego do seu lar, até que o sol retorne e com ele o calor.

Para comemorar este período que se aproxima, o Caer Ynis se reunirá no seu santuário de pedras no dia 22/06/2014 às 8:00. Interessados entrar em contato para maiores informações através do e-mail caerynis@gmail.com

Aidugnatos.

Anúncios

Convite – Solstício de Verão

Estamos nos aproximando do Solstício de Verão, o momento  que marca o período de maior claridade e onde temos o dia mais longo do ano e a noite mais curta. Assim, nessa época comemoramos o calor do Sol e a força que ele nos traz para vencermos nossos desafios e energia para nossas vidas.

Por isso, no dia 22 de dezembro o Caer Ynis se reunirá para realizar uma cerimônia de Eruina Alba, celebrando o Sol como fonte luz e vitalidade e convida toda a comunidade a participar.

Para saber detalhes sobre o local e o horário, entre em contato conosco pelo e-mail caerynis@gmail.com.

Gaesum Bach

Solstício de Verão 2012

Seguindo o ciclo da natureza o Caer Ynis se reuniu na manhã do dia 23 para celebrar o solstício de verão no santuário de pedras. Estavam presentes Inguz, Francis, Bruno, Fernando, Ana, Paula e eu.

Iniciamos nossa jornada no portal que guarda o santuário onde está localizada a pedra com a inscrição do cálice, a qual também apresenta uma inscrição oculta que só pode ser vista no dia do solstício nos primeiros 30 minutos após o nascer do sol.

Infelizmente devido às nuvens que se formavam no horizonte, não foi possível visualizarmos a figura oculta, mas apesar disso, ficamos fascinados pelo espetáculo que o nascer do sol proporciona aos nossos olhos.

Após aguardado o período do nascer do sol, partimos para a comunhão com o santuário, feita primeiramente através da água da fonte e da salsinha que cresce no local.

No que diz respeito aos significados da data, o ritual teve dois pontos importantes. Primeiramente Inguz cantou uma canção em homenagem ao sol lembrando da sua importância e de todo seu esplendor nesta época. Após, realizamos algumas orações à Manannán Mac Lir que foram especialmente selecionadas por Bach para a ocasião, que apesar de não estar presente fisicamente, estava conosco nessas orações.

Aproveitando as orações, fizemos também as oferendas ao espírito do local e ao próprio Manannán devido à data e ao fato de estarmos rodeados pelo mar.

Por fim, na parte festiva do ritual, confraternizamos e discutimos sobre a fartura de alimentos que tínhamos ali para partilhar entre nós e a sua relação com a fartura que é típica da época do verão.

Por fim, encerramos nosso encontro com um caloroso abraço coletivo e com o desejo de nos reencontrarmos brevemente para as próximas celebrações.

Rafael

PICT0008 PICT0014 PICT0016 PICT0017 PICT0019 PICT0020 PICT0022 PICT0030 PICT0035 PICT0037 PICT0040

Convite – Solstício de Verão

A metade clara do ano que iniciou-se em Beltane, ruma agora para seu ápice, o Solstício de Verão, quando o domínio da Luz chega ao máximo e temos o dia mais longo do ano.

Para nós do Caer Ynis esta é uma cerimônia muito especial, pois é quando nosso Santuário nos presenteia com um de seus mistérios e por isso nos reuniremos no dia 23/12 para celebrarmos este momento em uma cerimônia de nossa Tradição.

Os interessados em participar deverão entrar em contato através do email caerynis@gmail.com para obterem maiores informações quanto ao horário e o local da cerimônia.

Bach

Solstício de Inverno 2012

Na noite de 16 de junho de 2012 o Caer Ynis se reuniu para celebrar o Solstício de Inverno, a noite mais longa do ano, o ápice da metade escura do ano, a Noite Mãe e o renascimento do Sol, que a partir de então passa a tornar-se cada vez mais forte novamente. Nesta celebração fomos honrados pela presença de Francis, Nathalia e Larissa, nossos convidados que vieram aumentar o prestígio e a força de nosso rito.

Inguz aproveitou para explicar para nossos convidados cada um dos objetos do altar enquanto este era montado com os elementos da cerimônia. Após isso o espaço e os presentes foram purificados pela fumaça do incenso e pudemos enfim iniciar nosso rito.

Começamos clamando pela Paz e convidando os deuses e não-deuses dos Três Mundos e das Quatro Direções. Entoamos a palavra sagrada e realizamos uma meditação conduzida pelos elementos do altar; cada participante escolheu um objeto para lhe auxiliar em no final compartilhamos nossas vivências e impressões.

Inguz realizou uma cerimônia simbólica da tradidicional Colheita do Visco. Utilizando sua Foice Dourada, cortou um galho de uma planta com características semelhantes e distribui os ramos entre os participantes.

Também foi realizada uma cerimônia para simbolizar a volta da Luz do Sol ao mundo, onde uma vela que havia ficado apagada durante todo o ritual foi acesa.

Depois disso realizamos nosso banquete e conversamos muito sobre os significados e símbolos desta data e desta cerimônia, assim como sobre outros assuntos relacionados. Como sempre, um momento de profunda alegria e descontração, onde partilhamos vinho, suco e bolos.

Por fim, realizamos o encerramento de nossa cerimônia, agradecendo aos deuses e não-deuses dos Três Mundos e das Quatro Direções e entoando nossa palavra sagrada. Depois disso retornamos para nossas casas sabendo que a claridade estava retornando para romper a escuridão, trazendo novamente esperança ao Mundo.

JP Bach

Convite – Solstício de Inverno

Os dias estão ficando cada vez mais curtos e as noites cada vez mais longas. O frio chegou e nos obrigou a nos fecharmos em nossas casas em um período de repouso e introspecção, quando devemos olhar para dentro de nós mesmos em uma busca de auto-conhecimento. Vem se aproximando a noite mais longa do ano, a Noite Mãe, o ápice da escuridão. E depois disto, o Sol renasce.

Para celebrar este período, o Caer Ynis irá se reunir no dia 17 de junho em uma cerimônia pública. Os interessados em participar devem entrar em contato pelo e-mail caerynis@gmail.com para receber maiores detalhes.
JP Bach

Solstício de Verão 2011

Para celebrar o solstício de verão, ponto em que o Sol está em seu ápice de luminonisade e calor, o Caer Ynis se reuniu na madrugada do dia 22 de dezembro de 2011 e seguiu até a praia próxima ao Santuário.

Chegamos exatamente no horário da Alvorada e seguimos direto até o Pedra do Graal, onde novamente pudemos contemplar a inscrição invisível que se mostra apenas nos primeiros raios de Sol do solstício de verão.
Descobrimos essa figura em 2008, mas nos dois anos seguintes não conseguimos vê-la devido ao tempo nublado e por isso estavamos todos muito ansiosos.

Após o maravilhamento inicial e com o Sol já nos brindando com sua luz, fizemos a meditação de centramento das Duas Formas do Tribann, onde podemos receber as forças telúricas e celestiais e nos prepararmos para a cerimônia que se inicia.

Seguimos caminhando até a fonte, onde fizemos uma ablução e em seguida comungamos com o genis loci, o espírito do lugar, bebendo um pouco da água que desce do morro.

Seguimos até a Cabeça do Gigante, onde como de costume montamos nosso altar e enquanto fazíamos isso, Inguz nos deu mais uma grande aula sobre pedras e cristais.

Fizemos o Pedido de Paz ao Mundo e seguindo nossa Liturgia, convidamos os bons espíritos dos Três Mundos e também dos Quatro Ventos. Fizemos também um convite especial ao Gamo do Verão, posicionando sua imagem (feita de um galho seco que encontramos nas pedras no solstício de inverno de 2010) no lado Norte do altar.

Iniciamos o rito compartilhando a salsinha que nasce no Santuário, pão e suco de frutas, enquanto conversamos sobre os princípios básicos do druidismo, sobre o Sol e sobre o solstício.

Em seguida fizemos nossas oferendas para o Espírito do Santuário e também para Manannan Mac Lyr, oferecendo flores, suco, cristais, pão e água da vida, tudo com muita honra e dedicação.

Após isso partimos para os agradecimentos aos bons espíritos presentes, honrando os seres dos Três Mundos e dos Quatro Ventos.

E por fim, sob um calor escaldante que o Rei Sol lançava sobre nós, voltamos para casa, sabendo que a luz chegara ao seu apogeu, mas que dias de muita força ainda estariam por vir.

JP Bach